Artigos

SE ELE NÃO AMA A JESUS, NÃO AMARÁ VOCÊ

Crescendo na igreja como uma jovem solteira, ouvi uma frase sobre os homens que eu poderia namorar, "Certifique-se de que ele ama a Jesus mais do que ama você."


Eu pensei, "Bem, é claro", e ignorei o clichê sem realmente pensar nisso. Adão, andando no jardim com Deus, ficaria perplexo com esse conselho. Para ele, não haveria competição por seu coração e mente, porque Deus deu Eva a ele em um mundo perfeito e sem pecado.


Antes de Eva, Adão tinha uma comunhão ininterrupta com Deus: nenhum pecado, nenhuma vergonha. Essa relação era suficiente para Adão. O perfeito amor, graça e alegria de Deus fluíam livremente na alma de Adão. Não lemos sobre Adão sentindo-se descontente e necessitado por alguém além de Deus. E ainda assim Deus viu – enquanto Adão desfrutava a Divindade suficiente – que não era bom para Adão ficar sozinho (Gênesis 2:18). Eva foi a ideia e o dom de Deus para Adão.


Amor por Deus e Amor no Casamento


Quando Deus apresenta Eva a Adão, Deus não diz nervosamente: "Ei, apenas certifique-se de me amar mais do que Eva, certo?" Ele não precisava. Eva não era uma ameaça ao relacionamento de Adão com Deus. No jardim, as três relações entre Deus e Eva, entre Deus e Adão, e entre Adão e Eva, cantavam em perfeita harmonia. Havia beleza e equilíbrio nas interseções desses amores.


Mas o pecado interrompeu o equilíbrio e parou a harmonia. De repente, os bons dons de Deus se tornaram bezerros banhados a ouro que adoramos e servimos em lugar dele.


Embora o casamento não tenha um lugar permanente no céu, Deus considerou importante para seu reino aqui na terra. O equilíbrio e a harmonia entre um marido, uma esposa e seu Deus é restaurado – e continuamente restaurado – por meio de Cristo.


Mas antes que um homem e uma mulher se juntem, devem conhecer-se e determinar se estão trilhando o mesmo caminho para esse tipo de casamento.


Ame ao Senhor, seu Deus


Jesus nos deu o primeiro e maior mandamento em Mateus 22:36-40: Ame ao Senhor seu Deus com todo seu coração, alma, mente e força. Sabemos que Deus deve vir primeiro, se estamos casados, solteiros, ou namorando. Mas como colocamos Deus em primeiro lugar quando nos apaixonamos por outra pessoa – quando não é mais “apenas Jesus e eu”?


Deus tinha algo mais para Adão do que o próprio Deus. Ele queria trazer Adão a uma outra relação na qual pudesse experimentar e praticar o amor e a comunhão profunda, um amor sempre enraizado e fluindo do amor e da comunhão com Deus. 1 João 4:11-12 diz: "Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor".


Ninguém viu a Deus, mas quando nos envolvemos no amor bíblico de um pelo outro (namorando, casado ou solteiro), podemos ver a Deus. Nós o vemos pela obra de sua graça e amor, à medida que nos aperfeiçoamos uns aos outros. Somos a representação física do amor de Deus uns para com os outros. Podemos começar a ver a harmonia e o equilíbrio restaurados do jardim: Deus nos ama, para que possamos amar os outros, e o nosso amor para com os outros revela o nosso amor por Deus.


Deus ou namorada?


A frase-clichê não é tão simples quanto parece, porque um namorado não precisa necessariamente escolher Deus em lugar de nós, ou nós ao invés de Deus. Harmonia e equilíbrio tem sido possíveis novamente por meio de Cristo, mas ainda temos que lidar com fraturas nessa harmonia restaurada causadas pelo pecado. Portanto, o clichê pode ser útil. Ele adverte sobre a possibilidade de idolatria em nosso namoro, bem como em nossos casamentos.


Sejamos claros: seu namorado deve realmente amar você, e isso não significa automaticamente que ela a está idolatrando. Nós não queremos superespiritualizar o namoro cristão. Eu entendia sentimentos românticos e atração dispensada como sem importância ou desnecessários entre os cristãos. Tenhamos cuidado para não adotar uma maneira funcionalmente gnóstica ou simplista de olhar para relacionamentos românticos, onde o físico é mau e o espiritual é bom. Não são forças opostas, mas na verdade unidas na pessoa de Cristo. Seguimos o Deus-homem, que é inteiramente físico e espiritual.


Fica claro em Cânticos que o homem e a mulher estão desfrutando a dinâmica física e espiritual no casamento, e que Deus se deleita em ambos também. Deus nos uniu para sentimentos românticos e atração, mas também deve estar presente no relacionamento o amor bíblico (algo muito diferente de sentimentos românticos). Nós sujeitamos nossos sentimentos um pelo outro a Deus e à sua Palavra.


Então, não confunda o desejo natural de seu namorado piedoso por você com idolatria. Mas também não assuma imediatamente que o afeto dele por você é equilibrado. Ele deve tratá-la como uma princesa valorizada, mas também deve estar dando seu coração e atenção indivisos ao Rei de sua vida e amante de sua alma.


Qual Amor Vem Primeiro?


Quando eu estava namorando meu marido, ele era (e ainda é) um homem piedoso, mas olhando para trás, ele vê maneiras em que nosso relacionamento lentamente substituiu seu relacionamento com Deus. Quando um homem solteiro ele passava mais de seu tempo livre na leitura da Bíblia e oração, mas quando começamos a namorar esse tempo era muito mais frequentemente dedicado a mim. Ele lembra que assim que nos casamos, tornou-se um desafio passar um tempo pessoal com o Senhor enquanto eu estava por perto.


Ele vê agora como foi fácil para ele (alguém que valoriza o toque físico e a presença) substituir seu relacionamento com Deus pelo nosso relacionamento. O processo lento dessas escolhas pequenas, aparentemente inocentes – longas conversas, assistir filmes, sair mais e mais – se transformou em um deslize espiritual.


Não é mais fácil e mais natural para nós escolhermos o que vemos sobre o invisível? Mas quando escolhemos priorizar e buscar o invisível, começamos a experimentar mais da harmonia e equilíbrio que Adão e Eva um dia desfrutaram juntos.


Deus fez Eva para Adão, embora Adão tivesse Deus. Isso mostra que a relação homem/mulher é importante e benéfica. Mas desde a queda, temos de estar atentos às armadilhas do pecado – formas pelas quais exaltamos o dom acima do Doador, o que vemos acima do Invisível, o relacionamento acima do Relacionamento. Se você quiser que seu namorado se transforme em um marido que te ama como Cristo, certifique-se de que ele está andando com Cristo. De que outra forma ele pode te amar como Ele?


A melhor maneira para seu namorado amar você é amar a Jesus.



Autora: Liz Wann

Tradutor: Moacir Campos

Publicação Original: If He Does Not Love Jesus, He Will Not Love You



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Projeto Perguntar Não Ofende. Não é permitido: a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.


Caso você queira fazer alguma reclamação, bem como alguma crítica ou sugestão, envie-nos um e-mail para: pno@pipg.org.