Artigos

NETFLIX TORNA CRISTO MAIS PRECIOSO PARA VOCÊ?

(Áudio transcrito do podcast Ask Pastor John)


Tudo é perda sem Cristo, como John Piper deixou claro em seu sermão de 2014 intitulado, "Preparando-se para conhecer a Cristo profundamente através do sofrimento." Lá ele se referiu a Filipenses 3:8, no qual Paulo diz que devemos contar todas as coisas como perda. Então, como fazemos isso? Como podemos considerar todas as coisas como perda?


Jesus disse em Lucas 14:33: "Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo”. Ponto. Ninguém. Vou dizer novamente. Isto é Lucas 14:33: "Ninguém pode ser meu discípulo se não renuncia a todos os seus bens."


Agora, você tem roupas. Você provavelmente tem um carro no estacionamento coberto de neve. Você pode ter um apartamento ou casa e outros bens. Você provavelmente tem um iPhone ou computador. Então, você possui coisas. E este texto diz que você não pode ser um seguidor de Jesus se você não renunciar a elas. Você pode verificar traduções diferentes dessa passagem. Não seria isso o mesmo que Paulo diz quando exorta a considerar tudo como perda (Filipenses 3:8)?


Então, este casaco é meu, certo? Acho que minha esposa comprou para mim. Isso é meu. Este é o meu casaco de pregação. E eu deveria contar isso como perda por causa do valor superior que há em conhecer a Jesus. O que isso significaria? O que significaria praticamente considerar tudo em sua vida como perda em comparação com Jesus pelo valor superior de conhecer a Jesus?


Deixe-me dar-lhe quatro respostas sobre o que penso que isso significa, porque é isso que você deve estar se perguntando agora. Você diz: "Ok, eu ouvi a palavra. Espera-se que eu renuncie a tudo que tenho, e que considere tudo como perda. Espera-se que eu tenha essa inversão de valores. Na prática, vou entrar no meu carro. Vou comer a minha comida na minha geladeira. Eu vou colocar meus sapatos e chinelos. Na prática, o que isso significa?" Estes são apenas pontos para que você possa pensar a respeito. Eles merecem um capítulo em um livro.


1.     Escolher Cristo sobre todo o resto


Contar todas as coisas como perdas significa que, o que quer que eu escolha, sempre que eu for chamado a escolher entre qualquer coisa e Cristo, eu escolho a Cristo. E isso não acontece com tudo em sua vida. Você não tem que escolher entre Cristo e tudo – mas se o fizer, você tem em sua mente, "Se eu tiver que escolher entre carro e Cristo, computador e Cristo, esposa e Cristo, vida e Cristo, o amor imutável do Senhor é melhor do que a vida. Eu escolho a Cristo." Esse é o primeiro significado. Essa é uma resolução em sua mente. Você escreveu "perda" sobre tudo, no sentido de que, se tiver de escolher, você escolhe a Cristo.


2.     Estar mais próximo de Cristo por meio dos dons do mundo


Contar todas as coisas como perda significa que ou eu vou lidar com todas as coisas no mundo de uma forma que me traz para mais perto de Cristo por meio delas, ou eu não vou lidar.


Como você está fazendo com filmes e séries? Com as despesas? "Eu considero tudo como perda em comparação a Cristo." Eu uso meu casaco, dirijo meu carro, assisto a um vídeo, lido com tudo isso de uma maneira que me atraia mais para Cristo, não menos para Cristo. Se filmes minam a pura e doce comunhão com Jesus em vez de aprimorá-la, pare de assisti-los.


Estou consternado com o que os cristãos fazem por entretenimento, dando-se por certo que, se está nos cinemas, é porque deve ser assistido. Estou chocado, não porque eu sou um puritano – eu tenho meus filmes favoritos – mas porque eu fico arruinado por certas cenas. Eu não vou assistir a certos bons filmes por causa dessa cena. Não o farei porque Cristo é desonrado em minha alma, e minha mente fica contaminada por meses – e ele é mais precioso do que o prazer dos outros 124 minutos.


Vamos lá. Sejamos cristãos em sua completude. Estejamos prontos para sofrer. Se não podemos negar-nos um pouco de entretenimento que o mundo supõe que devemos ter para então conhecermos e admirarmos com ternura e mais profundamente desfrutar de uma constante comunhão com o nosso Jesus, como vamos enfrentar a debandada dos cavalos quando eles vierem? Esse é o número dois. Use tudo para melhorar o seu gozo em Jesus. E se não melhorar, não o faça.


3.     Mostrar ao mundo que o mundo não é seu tesouro


Contar todas as coisas como perda significa que eu sempre lido com as coisas no mundo de uma forma que mostra ao mundo que elas não são o meu tesouro. Como você faz isso? Bem, pense sobre isto. O mundo está observando você trabalhar pelo seu tesouro.


Leia 1 Coríntios 7, onde Paulo fala sobre fazer negócios no mundo e se casar e outras atitudes, como se não as vivêssemos. Isso é bastante provocativo. Esteja casado como se você não estivesse. Faça negócios como se você não estivesse fazendo. Compre as coisas como se você não tivesse posses (1 Coríntios 7: 29-31). Isso é uma loucura, um cristianismo maravilhoso. Use o carro, use o casaco, use o computador de tal forma que as pessoas ao seu redor assumam que isso não é o seu tesouro. “Ele usa isso e tem tesouros, mas isso não é o seu tesouro”.


4.     Estar disposto a perder todas as coisas


Contar todas as coisas como perda significa que perco toda e qualquer coisa que o mundo pode oferecer sem perder a minha alegria. Se por força ou por circunstância ou por escolha qualquer coisa preciosa que é arrancada da minha mão – pessoa ou produto – qualquer coisa arrancada da minha mão não destruirá a minha alegria, porque Cristo é o meu tudo.


Essas são as quatro coisas que eu penso sobre o significado de renunciar a tudo o que você tem, contar tudo como perda, experimentar esta inversão que o prepara a sofrer pelo bem.


Filipenses 3:8: "E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor''.




Autor: John Piper

Tradução: Moacir Campos

Texto Original: Does Netflix Make Christ More Precious To You



Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Projeto Perguntar Não Ofende. Não é permitido: a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.


Caso você queira fazer alguma reclamação, bem como alguma crítica ou sugestão, envie-nos um e-mail para: pno@pipg.org.