Artigos

O PECADO NUNCA LHE FARÁ FELIZ

Esculpidas nas cascas de cada árvore no jardim de Deus estão as palavras: "Se morrer, dará muito fruto" (João 12:24). Três palavras são marcadas na carne de cada cristão: "Pois... Vocês ... Morreram" (Colossenses 3:3). E a sincera confissão de todo crente é: "Fui crucificado com Cristo" (Gálatas 2:20).


Mas o que isto significa? Quem morreu quando eu me tornei cristão? Resposta: minha "carne" morreu. "Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne" (Gálatas 5:24). Mas o que significa "carne"? Não minha pele. Não meu corpo. Ele pode ser até um instrumento de justiça (Romanos 6:13). Não, não o corpo.


Mas então? Vemos a resposta nos tipos de obras que a carne faz. "As obras da carne" são coisas como idolatria e contenda, raiva e inveja (Gálatas 5:19-20). Elas são atitudes, não apenas atos imorais do corpo.


Que carne?


O mais próximo de uma definição bíblica da carne é Romanos 8:7-8: "a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à lei de Deus, nem pode fazê-lo.


Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus.” Assim, a carne é o velho eu que costumava se rebelar contra Deus. Na carne, eu era hostil e insubordinado. Eu odiava a ideia de admitir que estava doente pelo pecado. Eu resistia à ideia de que minha maior necessidade era O Bom Médico para me fazer bem. Na carne, eu confiava na minha sabedoria, não na de Deus. Portanto, nada que eu fizesse na carne poderia agradar a Deus, porque "sem fé é impossível agradar a Ele" (Hebreus 11:6). A carne não faz nada que vem da fé.


Assim "a carne" é o velho eu, auto-confiante e infiel. Isso é que morreu quando Deus me salvou. Deus clampeou as artérias do meu velho e incrédulo coração de pedra. E quando ele morreu, ele o tirou e me deu um coração novo (Ezequiel 36:26).


Qual é a diferença entre este novo coração que vive e o velho que morreu? A resposta é dada em Gálatas 2:20: "Fui crucificado com Cristo... E a vida que agora vivo na carne eu vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim." O velho coração que morreu confiava em si mesmo; O novo coração subordina-se a Cristo todos os dias.


Combata o pecado confiando em Jesus


Como as pessoas mortas lutam contra o pecado? Elas lutam confiando no Filho de Deus. Elas estão mortas para as mentiras de Satanás. Mentiras como esta: Você será mais feliz se você confiar em suas próprias ideias sobre como ser feliz em vez de confiar no conselho e nas promessas de Cristo. Os cristãos morreram para esse engano. A maneira como eles combatem Satanás é confiando que os caminhos e promessas de Cristo são melhores que os de Satanás.


Esta maneira de lutar contra o pecado é chamada de "combate da fé" (1 Timóteo 6:12; 2 Timóteo 4:7). As vitórias desse combate são chamadas de "obras de fé" (1 Tessalonicenses 1:3; 2 Tessalonicenses 1:11). Nesta guerra, os cristãos "tornam-se santos pela fé" (Atos 26:18).


Vamos pensar então sobre esse combate da fé. Não é como jogos de guerra com balas de borracha. A eternidade está em jogo. Romanos 8:13 é um versículo-chave: "Se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem morrer os atos do corpo, viverão." Isto está escrito para os cristãos professos, e o ponto é que nossa vida eterna depende de nossa batalha com o pecado. Isso não significa que ganhamos a vida eterna ao matar o pecado. Não, é "pelo Espírito" que lutamos. Ele receberá a glória, não nós.


Romanos 8:13 não diz que lutamos com um senso ansioso de incerteza sobre a vitória. Pelo contrário, mesmo lutando, temos confiança de que "aquele que iniciou uma boa obra em [nós], a completará no dia de Jesus Cristo" (Filipenses 1:6). Romanos 8:13 também não significa que devemos ser perfeitos agora em nossa vitória sobre o pecado. Paulo renuncia a qualquer pretensão de perfeição: "Não que eu já tenha obtido tudo isso ou já tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus" (Filipenses 3:12).


O Combate que Deus Requer


A exigência de Romanos 8:13 não é a ausência de pecado, mas o combate mortal contra o pecado. Isso é absolutamente essencial na vida cristã. Caso contrário, não damos nenhuma evidência de que a carne tenha sido crucificada. E se a carne não foi crucificada, não pertencemos a Cristo (Gálatas 5:24). As apostas nessa batalha são muito altas. Nós não estamos jogando jogos de guerra. O resultado é céu ou inferno.


Como, então, os mortos "mortificam os atos (pecaminosos) do corpo"? Respondemos: "Pela fé!" Mas o que isso significa? Como você combate o pecado com fé?


Suponha que estou tentado à luxúria. Alguma imagem sexual aparece em meu cérebro e me acena para persegui-la. O modo como essa tentação obtém seu poder é persuadindo-me a acreditar que serei mais feliz se eu a obter. O poder de toda tentação está na perspectiva de que ela vai me fazer mais feliz. Ninguém peca por um senso de dever quando o que a pessoa realmente quer é fazer o certo.


Então, o que eu deveria fazer? Algumas pessoas diriam: "Lembrai-vos do mandamento de Deus para ser santo (1 Pedro 1:16) e exercitai a vossa vontade de obedecer porque Ele é Deus!" Mas falta algo crucial a este conselho: a fé. Muitas pessoas que lutam para melhorar a integridade não conseguem dizer: "A vida que agora vivo na carne, eu vivo pela fé" (Gálatas 2:20). Muitas pessoas tentam amar aqueles que não percebem que o importante é a “fé que atua pelo amor" (Gálatas 5:6). A luta contra a luxúria (ou ganância, medo ou qualquer outra tentação) é um combate da fé. Caso contrário, o resultado é legalismo.


Combate ao Pecado pelo Espírito


Quando a tentação à luxúria vem, Romanos 8:13 diz: Se você matá-la pelo Espírito, você viverá. Pelo Espírito! O que isso significa? De toda a armadura que Deus nos dá para lutar contra Satanás, apenas uma peça é usada para matar: a espada. É chamada a Espada do Espírito (Efésios 6:17). Assim, quando Paulo diz: "Mortifiquem o pecado pelo Espírito", eu tomo isso como significando, "Dependa do Espírito, especialmente da Sua Espada".


O que é a espada do Espírito? É a palavra de Deus (Efésios 6:17). É aqui que entra a fé. "A fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo" (Romanos 10:17). A palavra de Deus dissipa a nebulosidade das mentiras de Satanás e me mostra onde a felicidade verdadeira e duradoura deve ser encontrada. E assim a palavra me ajuda a parar de confiar no potencial do pecado em me fazer feliz e, em vez disso, me incita a confiar na promessa de alegria de Deus (Salmos 16:11).


Eu me pergunto quantos crentes hoje percebem que a fé não é meramente crer que Cristo morreu por nossos pecados. A fé também é confiar que Seu caminho é melhor que o pecado. Sua vontade é mais sábia. Sua ajuda é mais certa. Suas promessas mais preciosas. E sua recompensa mais satisfatória. A fé começa com um olhar para trás na cruz, mas vive com um olhar para frente nas promessas de Deus. Abraão "foi fortalecido em sua fé... plenamente convencido de que Deus era poderoso para cumprir o que havia prometido" (Romanos 4: 20-21). "A fé é a certeza daquilo que esperamos" (Hebreus 11: 1).


Quando a fé toma a liderança em meu coração, estou satisfeito com Cristo e suas promessas. Isso é o que Jesus quis dizer quando disse: "Quem crê em mim nunca terá sede" (João 6:35). Se a minha sede de alegria e significado e paixão são satisfeitas pela presença e promessas de Cristo, o poder do pecado é quebrado. Não cedemos à oferta de carne de sanduíche, quando podemos ver o steak chiando na grelha.


A Satisfação Mata o Pecado


O combate da fé é a luta para ficar satisfeito em Deus. "Pela fé Moisés. . . [Abandonou] os prazeres passageiros do pecado. . . . Ele [olhou] para a recompensa "(Hebreus 11: 24-26). A fé não se contenta com "prazeres fugazes". Ela é voraz por alegria. E a palavra de Deus diz: "Em tua presença [Deus] está a plenitude da alegria; à tua direita há prazeres para todo o sempre" (Salmo 16:11). Assim, a fé não será desviada para o pecado. Ela não vai desistir tão facilmente em sua procura por alegria máxima.


O papel da palavra de Deus é alimentar o apetite da fé em Deus. E ao fazer isso, afasta o meu coração do gosto enganoso da luxúria. A princípio, a luxúria começa enganando-me a sentir que eu realmente perderia alguma grande satisfação se eu seguisse o caminho da pureza. Mas então eu pego a espada do Espírito e começo a lutar.


Eu li que é melhor arrancar os meus olhos do que ceder à luxúria (Mateus 5:29). Eu li que se eu pensar sobre coisas que são puras e adoráveis ​​e excelentes, a paz de Deus será comigo (Filipenses 4:7-8). Eu li que colocar a mente na carne traz morte, mas colocar a mente no Espírito traz vida e paz (Romanos 8:6). E enquanto oro para que minha fé esteja satisfeita com a vida e a paz de Deus, a espada do Espírito separa o açúcar do veneno da luxúria. Eu enxergo como ela realmente é. E pela graça de Deus, seu poder sedutor é quebrado.


Fé com visão de futuro


Esta é a maneira como os mortos lutam com o pecado. Isto é o que significa ser cristão. Estamos mortos no sentido de que o velho homem incrédulo (a carne) morreu. Em seu lugar nova criatura há. O que a torna nova é a fé. Não apenas uma crença que olha para trás, para a morte de Jesus, mas uma crença voltada para o futuro, para as promessas de Jesus. Não apenas a certeza do que Ele fez, mas também estar satisfeito com o que Ele vai fazer.


Com toda a eternidade em jogo, nós lutamos o combate da fé. Nosso principal inimigo é a mentira que diz que o pecado fará nosso futuro mais feliz. Nossa arma principal é a verdade que diz que Deus fará nosso futuro mais feliz. E a fé é a vitória que triunfa sobre a mentira, porque a fé é satisfeita com Deus.


O desafio diante de nós, então, não é meramente fazer o que Deus diz porque Ele é Deus, mas desejar o que Deus diz porque Ele é bom. O desafio não é meramente perseguir a justiça, mas preferir a justiça. O desafio é levantar-se de manhã e meditar em oração sobre as Escrituras até experimentarmos alegria e paz em crer nas "preciosas e grandes promessas" de Deus (Romanos 15:13; 2 Pedro 1:4). Com essa alegria colocada diante de nós, os mandamentos de Deus não serão fardos pesados ​​(1 João 5:3), e a compensação do pecado tornar-se-á breve e superficial demais para nos atrair.




Autor: John Piper

Título Original: Sin Will Never Make You Happy

Tradução: Moacir Campos




Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Projeto Perguntar Não Ofende. Não é permitido: a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.


Caso você queira fazer alguma reclamação, bem como alguma crítica ou sugestão, envie-nos um e-mail para: pno@pipg.org