Artigos

UM PERIGOSO “CONTO DE FADAS” PARA AS FUTURAS ESPOSAS

Quando éramos crianças, provavelmente fingimos  ser uma donzela em perigo - mantida refém por um dragão que cuspia fogo, e salva por um cavaleiro de armadura brilhante. Nós crescemos e deixamos de fingir, mas como mulheres que ainda tendemos  a gravitar pelos livros e filmes românticos.


O que mais amamos nos romances de conto de fadas é o final feliz. Não importa quantos os altos e baixos, o mocinho e a mocinha tenham enfrentado, o que importa é sempre alcançar o final feliz e a “felicidade romântica”. É tão puro, claro e perfeito. No entanto, os livros de romance e filmes são apenas ficção. Eles nos entregam um conto de fadas moderno: o sonho americano que vem com uma carreira de sucesso, dois filhos (um menino e uma menina, é claro), um marido fiel e devotado, boa saúde e uma abundância de riqueza e bens materiais.


Mas o que acontece quando a realidade não se alinha com nossas esperanças e sonhos? E se a verdadeira história de nossa vida e casamento nos decepcionar? É o nosso cavaleiro de armadura brilhante o que nós pensamos que ele era quando nos casamos com ele? Ele pode nos salvar do dragão?


O Casado Não “Chegou”


O problema de traduzir um conto de fadas para nossa vida pessoal são nossas expectativas irreais. Nós queremos o final feliz em nossas próprias vidas, e pensamos que o casamento será  uma bênção. Esperamos o final feliz - às vezes até mesmo exigimos. Todos nós temos uma história de romance passando na  nossa cabeça sobre o que  a vida de casados ​​será, mas eventualmente vamos descobrir que este mundo de fantasia não corresponde à realidade. Nossas esperanças e sonhos elevados e frágeis são destruídos. Estamos magoados e confusos pelo pecado do nosso marido (e nosso próprio). Nunca percebemos que o casamento poderia ser tão difícil.


Nós amamos os livros de romance e filmes - o conto de fadas - porque a nossa própria vida amorosa pode ser uma decepção. Nós todas pensamos que finalmente "chegou" quando passos da vida de  solteiro para casado. Mas Deus sabe que apenas começamos. Precisamos começar a ver o casamento através de um gênero diferente: o filme de guerra.


Casamentos em tempo de guerra


Todos nós precisamos de uma mentalidade de guerra no campo de batalha do casamento. Quando passamos pelas decisões do vestido de noiva, das flores, as opções de cardápio, somos confrontados com as decisões diárias de viver os nossos votos matrimoniais. A doce felicidade romântica provada no dia do nosso casamento é uma parte real do casamento - tempos e momentos que devem ser estimados - mas são as duras batalhas travadas com graça que sustentarão um casamento.


Se estamos cientes ou não, a batalha começa, não termina, quando fazemos nossos votos. Nossos desejos pecaminosos se erguerão imediatamente como um dragão que cospe fogo. Satanás lançará sua granada de mentiras aos nossos pés. Teremos de observar nossos passos, para que não armemos as minas escondidas em nossas próprias casas. Muitas vezes são nossas próprias expectativas irreais no casamento que nos impedem de ver as balas voando ao nosso redor. Devemos deixar de lado o conto de fadas infantil e pedir a Deus que abra nossos olhos à guerra espiritual em nosso casamento, a batalha em que devemos lutar pela fé.


A Esperança de Satanás para o Seu Casamento


Satanás quer despedaçar o belo quadro do evangelho no casamento: a representação do amor sacrificial de Cristo pela sua noiva, a igreja. O inimigo não vai parar até destruir qualquer imagem ou reflexo de Cristo neste mundo. Ele sabe que as expectativas irreais no casamento podem ajudá-lo a matar o que Deus ama. Então, ele tenta nos enganar nos vendendo uma ideia de casamento aquém daquilo que Deus pretende para o casamento.


Satanás quer que pensemos que o casamento é sobre satisfazer nossas necessidades e desejos não satisfeitos, vivendo o sonho vendido em romances, preenchendo um check-list, ou finalmente juntando nossas vidas. Ele lentamente, gentilmente nos balançando em um sono apático, de modo que vamos nos contentar com menos. Devemos acordar e ver como nossas expectativas irreais e o padrão baixo. Nossos desejos são muito pequenos quando colocamos a última esperança em nosso marido ou no próprio casamento. Nossas expectativas devem crescer quando Deus usa nossas expectativas não satisfeitas - e a conseqüente decepção e dor - para nos conduzir a si mesmo. O casamento é um caminho que nos leva ao destino maior: o próprio Deus.


Uma história de amor maior do que o casamento


Você vê, nós realmente desejamos o conto de fadas ao invés do filme de guerra, porque no fundo nós sabemos que é verdade. Sabemos que há um cavaleiro em armadura brilhante que vai matar o dragão para nós, que vai alcançar todas as probabilidades e ganhar a guerra, que vai nos buscar em nossa angústia e nos salvar. Como o príncipe da Branca de Neve, cujo beijo trouxe a princesa de volta à vida, assim Deus nos dá seu divino “beijo de vida” através de Jesus.


Nosso cavaleiro em armadura brilhante é um carpinteiro de Belém; E ele nunca ilude. Pensamos que nossos casamentos se destinam a nos atender, satisfazer nossos pequenos desejos terrenos, mas nossos casamentos são realmente parte de uma história maior que Deus está fazendo através de seu Filho. Nossas expectativas devem ser moldadas por tesouros de Cristo. Só então deixaremos de fingir e engajar-nos numa mentalidade de guerra em direção ao casamento.



Autora: Liz Wann

Original: A Dangerous Fairytale for Future Wives

Tradução: Jéssica Sayuri Sumizono Rafael

Revisão: Ludmila Yuki Sumizono Vieira




Baixe o aplicativo Perguntar Não Ofende e continue acompanhando nossas postagens!

Google Play: https://goo.gl/TMJtQI

Apple Store: https://goo.gl/gx2z7b


Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir os artigos em qualquer formato, desde que informe o(a) autor(a) e a fonte do artigo, bem como as fontes intermediárias, inclusive o Projeto Perguntar Não Ofende. Não é permitido: a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.



Caso você queira fazer alguma reclamação, bem como alguma crítica ou sugestão, envie-nos um e-mail para: pno@pipg.org